Fale connosco!

"Disponibilidade, aconselhamento, cuidado e adaptação ao cliente são os valores mais flagrantes"
Pedro Duarte
Sustentestival Unipessoal, LDA (5ha)

Espécies

  • Absinto
    Planta aromática usada há séculos como repelente.
  • Absinto "Powis Castle"
    É um híbrido entre a artemisia absinthium e a artemisia aborescens.
  • Alecrim Comum
    Espalhe em churrascos, sobre as brasas do carvão aceso, perfumando a carne e difundindo um agradável odor no ambiente.
  • Alecrim Rasteiro
    Pouca gente conhece a variedade de alecrim rasteiro que é cultivada como planta ornamental.
  • Alfazema
    Muito cultivada para a extração de seu óleo essencial, muito utilizado em perfumaria e produtos de higiene.
  • Alfazema 'allardi'
    Esta planta surge do cruzamento da alfazema dentata com a alfazema angustifolia.
  • Alfazema dentada
    São produzidas em escala industrial para obtenção de óleo essencial para o fabrico de cosméticos, perfumes, fármacos, etc,.
  • Arméria Marítima
    É uma planta resistente e de longa duração, apresenta belas flores de cor rosada.
  • Babosa / Aloé vera
    Também conhecida como Babosa, a Aloé Vera tem vindo a ser utilizada como planta medicinal desde as civilizações antigas.
  • Calêndula
    Também conhecida como "maravilha", é um excelente inseticida natural.
  • Camomila
    A palavra camomila tem origem no termo grego "chamaimelon" que significa "macieira rasteira.
  • Capuchinha
    A Capuchinha é uma planta comestível rica em vitamina C.
  • Cardo Penteador
    As suas influrescências eram utilizadas para cardar a lã, daí o seu nome.
  • Cidreira
    Muito utilizada para garantir uma boa noite de sono.
  • Cravo Túnico
    A flor desta planta é comestível.
    Pode ser utilizada na confecção de variadas saladas e pratos.
  • Echinacea
    É capaz de aumentar a capacidade de resposta do sitema imunitário.
  • Echinacea angustifolia
    A echinacea age como um antibiótico natural.

    É muito utilizada na medicina tradicional nos dias de hoje.
  • Erva Príncipe
    Planta cuja popularidade em Portugal valeu estrelas de Ouro a duas marcas portuguesas no concurso internacional "Great Taste Awards".
  • Erva-do-caril
    O óleo da erva-do-caril é muito raro e precioso, sendo o anti-hematoma mais potente e conhecido na atualidade.
  • Estragão Francês
    Também conhecido como erva-dragão, é um tempero muito típico na culinária francesa.
  • Funcho
    Esta planta é espontânea nos Açores e na Madeira.
  • Hipericão-do-Gerês
    É talvez a única planta portuguesa com o nome de uma região.
  • Hissopo
    Planta com os mais variados usos medicinais.
  • Hortelã da ribeira
    Especialmente popular no Algarve, onde é utilizada como erva aromática para temperar as caldeiradas.
  • Hortelã mourisca
    De sabor forte e mentolado, exala um perfume intenso.
  • Hortelã-Ananás
    Com um leve aroma a ananás, é ótima para usar em saladas, saladas de fruta e refrescos.
  • Hortelã-Chocolate
    Aroma adocicado e refrescante, que parece mesmo o do popular chocolate "After Eight".
  • Hortelã-Laranja
    Apresenta um sabor que mistura a casca de laranja cristalizada com toques de lavanda.
  • Hortelã-Pimenta
    Muito usada no fabrico de pastilhas elásticas e pastas dentífricas.
  • Hortelã-vulgar
    Um dos seus usos mais populares é enquanto planta medicinal.
  • Incenso
    A sua variedade mais cultivada é o Incenso-bastardo (Plectranthus forsteri marginatus), cujo nome advém da sua atraente folhagem verde com margens brancas.
  • Incenso bastardo
    Planta perene que liberta um agradável e intenso aroma.
  • Lavandin
    Possui uma das fragrâncias mais fortes entre as lavandulas.
  • Limonete / Lúcia-lima
    Das plantas mais procuradas para infusões em Portugal, valeu a uma marca portuguesa o prémio mais alto do maior e mais prestigiado concurso mundial de produtos alimentares.

  • Loureiro
    Símbolo de nobreza e de imortalidade, as extremidades do loureiro têm propriedades terapêuticas há muito reconhecidas.
  • Manjericão
    Utilizado na tradicional pizza Margherita e como ingrediente básico do pesto genovês.
  • Manjericão Roxo
    Usado na culinária dá um toque especial aos pratos pois as suas folhas possuem uma bela coloração.
  • Manjerona
    Apresenta sabores doces de citrino e de pinho.
  • Murta
    As suas folhas apresentam um cheiro semelhante ao das folhas de laranjeira.
  • Orégãos
    Rico em vitamina C e em óleos esenciais.
  • Perpétua Roxa
    As flores desta planta são consideradas um exelente expectorante.
  • Perpétuas-das-areias
    É frequente encontrá-la em terrenos incultos, sítios secos/arenosos, soalheiros e na orla de estradas e caminhos.
  • Poejo
    Uma das espécies mais conhecidas do género Mentha. O seu óleo essencial é venenoso, sendo especialmente perigoso para grávidas.
  • Rosmaninho
    O mais apreciado produto desta planta é o mel, existem várias regiões de Portugal especialistas na produção de mel de rosmaninho.
  • Sabugueiro
    O Sabugueiro é uma planta medicinal muito utilizada para tratar gripes ou constipações.
  • Salva Ananás
    Apresenta caules peludos, flores de cor vermelha tubulares e um aroma singular a ananás.
  • Salvia
    A palavra sálvia deriva do latim salvere, que significa "estar de boa saúde".
  • Segurelha
    Combina na perfeição com todas as leguminosas na culinária.
  • Stevia
    A sua folha seca é 10 vezes mais doce que o açúcar de cana e muito mais saudável.
  • Tomilho bela luz
    Também conhecido como sal-puro ou sal-purinho, por ser muito usado na cozinha como substituto do sal.
  • Tomilho comum
    Usado como condimento e como erva medicinal, é cultivado há milhares de anos.
  • Tomilho laranja
    Planta com um agradável aroma cítrico, que faz lembrar o da laranja.
  • Tomilho limão
    Tem um delicioso aroma a limão.
  • Tomilho poêjo
    Possui folhas extremamente aromáticas e belas flores rosa e lilás.
  • Tomilho serpão
    Muito utilizado e conhecido nas regiões beirãs.

Hortelã-Pimenta

Mentha Peperita

A Hortelã-pimenta é uma hortelã híbrida obtida através do cruzamento entre Mentha aquatica e Mentha spicata.

Planta herbácea perene, da família Lamiaceae, que atinge os 30–100 cm.

Existem diversas espécies de hortelã (mais de 25 tipos), sendo as mais conhecidas a Mentha Spicata (hortelã- vulgar) e a Mentha Piperita (hortelã-pimenta). A diferença entre as espécies está no formato das folhas, dos caules, na coloração, no odor e no sabor.


Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 5000 0,20€
A partir de 5001 0,19€
Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 10 1,18€
11 a 50 1,10€
A partir de 51 0,94€
Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 10 1,65€
11 a 50 1,31€
A partir de 51 1,13€
Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 10 2,37€
11 a 50 1,88€
A partir de 51 1,69€
* Aos valores apresentados acresce o IVA à taxa legal em vigor.
Cultivo

As várias espécies de hortelã são plantas de clima temperado ou ameno, que suportam bem baixas temperaturas, mas não o congelamento total do solo.

É recomendado que o local de cultivo seja bem protegido do vento.

Relativamente à exposição solar, a hortelã pode ser cultivada em lugares ensolarados ou em sombra parcial. Em sombra parcial é mais fácil manter o solo húmido e o ambiente fresco, principalmente em regiões com clima mais quente.

O solo deve ser fértil e rico em matéria orgânica, e nunca pode deixar que seque durante o ciclo de crescimento das plantas.

O cultivo é geralmente realizado através de divisão de raízes, que podem ser plantadas diretamente num local definitivo ou em canteiros, sendo as mudas depois transplantadas quando atingem cerca de 10 a 15 cm de altura. O espaçamento adequado entre as plantas é de 30 a 40 cm.

A propagação através de sementeira é possível, mas desaconselhada (a não ser que pretenda intencionalmente produzir plantas híbridas), pois as plantas cruzam-se facilmente e a variabilidade fenotípica é grande mesmo entre plantas da mesma espécie, tornando-se assim muito difícil garantir que as plantas originadas por sementes tenham as características da espécie das plantas mãe. Para além disso, nem todas as hortelãs produzem sementes.

Chama-se especial atenção para o facto da maioria das espécies de hortelã serem invasivas, podendo espalhar-se muito rapidamente.

Em hortas domésticas, é mais conveniente cultivar a hortelã em vasos e canteiros, para controlar mais facilmente o seu crescimento e impedir que se espalhe e invada o espaço destinado a outras plantas.

História

Com origem na Europa, África e Ásia, o seu cultivo espalhou-se por todo o mundo.

Há duas versões mitológicas para a origem desta planta:

- Numa delas, Plutão era apaixonado por uma deusa muito bela chamada Minthe – e resolveu transformá-la em hortelã para escapar da raiva da esposa Perséfone. O mito conta ainda que Plutão sentia o cheiro doce que a ninfa exalava ao passear pelos jardins, mostrando que ainda a amava.

- A outra lenda diz que Zeus e Hermes andavam disfarçados pela Terra quando foram convidados por um casal humilde para jantar. Na mesa, os anfitriões espalharam folhas de hortelã como sinal de gratidão. Em troca deste belo gesto, os deuses transformaram o casebre num grande e farto palácio, o que fez da planta um símbolo de amizade, amor e hospitalidade.

Largamente utilizada por diversos povos ao longo dos anos, como egípcios, gregos, romanos, americanos e hebreus. Na maioria dos casos, a hortelã era usada na decoração de banquetes e mesas de jantar, e consumida em forma de chá.

Os atenienses da antiguidade esfregavam as folhas de hortelã-pimenta nos braços para aumentar a resistência a doenças.

Utilização

Os seus fins medicinais são inúmeros: tratamento de febre, de dores de cabeça e problemas digestivos, carminativo, colagogo, antiespasmódico, diaforético, refrescante, tónico e vasodilatador.

A infusão é utilizada no tratamento do síndrome de intestino sensível/irritável entre outros problemas digestivos.

Externamente, a loção é aplicada na pele para aliviar a dor e reduzir a sensibilidade.
Quando diluído, pode ser usado como inalador e espalhado no corpo para aliviar e tratar as infeções respiratórias. As suas folhas são ainda usadas para tratar perturbações digestivas, devido à sua ação espasmolítica sobre a musculatura lisa (efeito colerético e carminativo).

O seu óleo essencial, é indicado para o uso interno no tratamento de cólicas gastrointestinais, em situação de cólon irritável, catarros do aparelho respiratório e inflamação da mucosa oral, em aplicação externa, é utilizado para mialgias e nevralgias.

Na culinária, é utilizada frequentemente em sobremesas de chocolate e sopas.

Fontes Documentos




poejo

Poejo

Uma das espécies mais conhecidas do género Mentha. O seu óleo essencial é venenoso, sendo especialmente perigoso para grávidas.

hortela mourisca

Hortelã mourisca

De sabor forte e mentolado, exala um perfume intenso.

Hortelã da Ribeira

Hortelã da ribeira

Especialmente popular no Algarve, onde é utilizada como erva aromática para temperar as caldeiradas.

Hortelã Laranja

Hortelã-Laranja

Apresenta um sabor que mistura a casca de laranja cristalizada com toques de lavanda.

Hortelã Chocolate

Hortelã-Chocolate

Aroma adocicado e refrescante, que parece mesmo o do popular chocolate "After Eight".

hortela ananas

Hortelã-Ananás

Com um leve aroma a ananás, é ótima para usar em saladas, saladas de fruta e refrescos.

hortela vulgar

Hortelã-vulgar

Um dos seus usos mais populares é enquanto planta medicinal.