"Qualidade nos produtos, profissionalismo e dedicação são o retrato desta empresa. Agradecemos a vossa disponibilidade e rapidez na resposta às nossas necessidades."

Andreia Ribeiro
Biofusão (2.8ha)

Espécies

  • Absinto
    Planta aromática usada há séculos como repelente.
  • Absinto "Powis Castle"
    É um híbrido entre a artemisia absinthium e a artemisia aborescens.
  • Alecrim Comum
    Espalhe em churrascos, sobre as brasas do carvão aceso, perfumando a carne e difundindo um agradável odor no ambiente.
  • Alecrim Rasteiro
    Pouca gente conhece a variedade de alecrim rasteiro que é cultivada como planta ornamental.
  • Alfazema
    Muito cultivada para a extração de seu óleo essencial, muito utilizado em perfumaria e produtos de higiene.
  • Alfazema 'allardi'
    Esta planta surge do cruzamento da alfazema dentata com a alfazema angustifolia.
  • Alfazema dentada
    São produzidas em escala industrial para obtenção de óleo essencial para o fabrico de cosméticos, perfumes, fármacos, etc,.
  • Arméria Marítima
    É uma planta resistente e de longa duração, apresenta belas flores de cor rosada.
  • Babosa / Aloé vera
    Também conhecida como Babosa, a Aloé Vera tem vindo a ser utilizada como planta medicinal desde as civilizações antigas.
  • Calêndula
    Também conhecida como "maravilha", é um excelente inseticida natural.
  • Camomila
    A palavra camomila tem origem no termo grego "chamaimelon" que significa "macieira rasteira.
  • Capuchinha
    A Capuchinha é uma planta comestível rica em vitamina C.
  • Cardo Penteador
    As suas influrescências eram utilizadas para cardar a lã, daí o seu nome.
  • Cidreira
    Muito utilizada para garantir uma boa noite de sono.
  • Cravo Túnico
    A flor desta planta é comestível.
    Pode ser utilizada na confecção de variadas saladas e pratos.
  • Echinacea
    É capaz de aumentar a capacidade de resposta do sitema imunitário.
  • Echinacea angustifolia
    A echinacea age como um antibiótico natural.

    É muito utilizada na medicina tradicional nos dias de hoje.
  • Erva Príncipe
    Planta cuja popularidade em Portugal valeu estrelas de Ouro a duas marcas portuguesas no concurso internacional "Great Taste Awards".
  • Erva-do-caril
    O óleo da erva-do-caril é muito raro e precioso, sendo o anti-hematoma mais potente e conhecido na atualidade.
  • Estragão Francês
    Também conhecido como erva-dragão, é um tempero muito típico na culinária francesa.
  • Funcho
    Esta planta é espontânea nos Açores e na Madeira.
  • Hipericão-do-Gerês
    É talvez a única planta portuguesa com o nome de uma região.
  • Hissopo
    Planta com os mais variados usos medicinais.
  • Hortelã da ribeira
    Especialmente popular no Algarve, onde é utilizada como erva aromática para temperar as caldeiradas.
  • Hortelã mourisca
    De sabor forte e mentolado, exala um perfume intenso.
  • Hortelã-Ananás
    Com um leve aroma a ananás, é ótima para usar em saladas, saladas de fruta e refrescos.
  • Hortelã-Chocolate
    Aroma adocicado e refrescante, que parece mesmo o do popular chocolate "After Eight".
  • Hortelã-Laranja
    Apresenta um sabor que mistura a casca de laranja cristalizada com toques de lavanda.
  • Hortelã-Pimenta
    Muito usada no fabrico de pastilhas elásticas e pastas dentífricas.
  • Hortelã-vulgar
    Um dos seus usos mais populares é enquanto planta medicinal.
  • Incenso
    A sua variedade mais cultivada é o Incenso-bastardo (Plectranthus forsteri marginatus), cujo nome advém da sua atraente folhagem verde com margens brancas.
  • Incenso bastardo
    Planta perene que liberta um agradável e intenso aroma.
  • Lavandin
    Possui uma das fragrâncias mais fortes entre as lavandulas.
  • Limonete / Lúcia-lima
    Das plantas mais procuradas para infusões em Portugal, valeu a uma marca portuguesa o prémio mais alto do maior e mais prestigiado concurso mundial de produtos alimentares.

  • Loureiro
    Símbolo de nobreza e de imortalidade, as extremidades do loureiro têm propriedades terapêuticas há muito reconhecidas.
  • Manjericão
    Utilizado na tradicional pizza Margherita e como ingrediente básico do pesto genovês.
  • Manjericão Roxo
    Usado na culinária dá um toque especial aos pratos pois as suas folhas possuem uma bela coloração.
  • Manjerona
    Apresenta sabores doces de citrino e de pinho.
  • Murta
    As suas folhas apresentam um cheiro semelhante ao das folhas de laranjeira.
  • Orégãos
    Rico em vitamina C e em óleos esenciais.
  • Perpétua Roxa
    As flores desta planta são consideradas um exelente expectorante.
  • Perpétuas-das-areias
    É frequente encontrá-la em terrenos incultos, sítios secos/arenosos, soalheiros e na orla de estradas e caminhos.
  • Poejo
    Uma das espécies mais conhecidas do género Mentha. O seu óleo essencial é venenoso, sendo especialmente perigoso para grávidas.
  • Rosmaninho
    O mais apreciado produto desta planta é o mel, existem várias regiões de Portugal especialistas na produção de mel de rosmaninho.
  • Sabugueiro
    O Sabugueiro é uma planta medicinal muito utilizada para tratar gripes ou constipações.
  • Salva Ananás
    Apresenta caules peludos, flores de cor vermelha tubulares e um aroma singular a ananás.
  • Salvia
    A palavra sálvia deriva do latim salvere, que significa "estar de boa saúde".
  • Segurelha
    Combina na perfeição com todas as leguminosas na culinária.
  • Stevia
    A sua folha seca é 10 vezes mais doce que o açúcar de cana e muito mais saudável.
  • Tomilho bela luz
    Também conhecido como sal-puro ou sal-purinho, por ser muito usado na cozinha como substituto do sal.
  • Tomilho comum
    Usado como condimento e como erva medicinal, é cultivado há milhares de anos.
  • Tomilho laranja
    Planta com um agradável aroma cítrico, que faz lembrar o da laranja.
  • Tomilho limão
    Tem um delicioso aroma a limão.
  • Tomilho poêjo
    Possui folhas extremamente aromáticas e belas flores rosa e lilás.
  • Tomilho serpão
    Muito utilizado e conhecido nas regiões beirãs.

Stevia

Stevia rebaudiana

Pertence à família asteraceae e à família dos crisântemos.

Arbusto de porte pequeno e com uma impressionante capacidade de adoçar.

Das folhas deste arbusto é possível extrair um pó branco que é 300 vezes mais doce que o açúcar de cana.

As folhas desta planta têm um sabor refrescante e não contêm calorias, não alteram o nível de açúcar no sangue e não causa diabetes.

Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 5000 0,27€
A partir de 5001 0,26€
Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 10 1,18€
11 a 50 1,10€
A partir de 51 0,94€
Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 10 2,63€
11 a 50 2,07€
A partir de 51 1,69€
Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 10 3,57€
11 a 50 2,82€
A partir de 51 2,26€
* Aos valores apresentados acresce o IVA à taxa legal em vigor.
Cultivo

É difícil cultivá-la através de sementeira, pois mesmo que conseguisse fazer com que as sementes germinassem, os níveis de "steviosídeo" (pó branco, essência das suas folhas) podem variar muito em plantas cultivadas a partir de sementes.

O ideal é cultivá-la a partir do processo de estacaria, cuja fonte seja alta em "steviosídeo".
 
É importante ter em mente que jovens plantas de stevia são especialmente sensíveis a baixas temperaturas, e portanto deve transplantá-las para o jardim quando não existir perigo de geada.

História

A stevia é uma planta milenar, originária do Paraguai e Brasil, utilizada como adoçante natural há séculos.

Amplamente utilizada pelos índios Guarani desde há quase 1500 anos. Eles usavam a planta como adoçante, à qual chamaram "kaa he he"(erva doce).

Utilização

Pode utilizar a stevia das seguintes formas:

- Folhas frescas moídas: salpique as folhas moídas sobre a comida, como se estivesse a usar um outro tempero. Adicione-as durante o cozimento ou quando a comida ainda estiver quente, pois o sabor doce é libertado mais facilmente quando a planta é aquecida.
Podem ser usadas em molhos de churrasco, molho agridoce, sopas, feijões, pizza, molho de maçã, pães, massa de biscoitos, em temperos de saladas, etc.

- Como açúcar/adoçante: seque as folhas (em média 12 horas ao sol), depois num almofariz esmague-as até fazer um pó e utilize na culinária como se de açúcar/adoçante se tratasse.

A stevia foi considerada segura para consumo humano através de uma rigorosa pesquisa, a a Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA (Food and Drug Administration, FDA) e o Comité Conjunto de Especialistas da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO /OMS) em aditivos alimentares, reconhecem-na como segura.

Mais de 200 amplos estudos foram conduzidos sobre a mesma, atestando a sua segurança na alimentação.

A União Europeia aprovou a utilização de um edulcorante proveniente da stevia. O código E960 e/ou a designação de glicosídeos de esteviol identificam este aditivo nas embalagens dos produtos alimentares. Este edulcorante é de origem natural, com 40 a 300 vezes o poder adoçante da sacarose, não sintético, ao contrário do ácido clicâmico, o aspartame ou a sacarina. Contudo, isto não significa que possa ser utilizado indiscriminadamente.
A Dose Diária Admissível (DDA) foi fixada pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos em 4 mg/kg de peso corporal.

Em termos medicinais, é considerada como hipoglicémica, hipotensiva, diurética, cardiotónica e tónica.

As suas folhas são usadas em casos de diabetes, obsidade, cárie dentária, hipertensão, depressão, dependência de açúcar e infeções.

Fontes Documentos