"Profissionalismo, qualidade e disponibilidade são as palavras que para nós melhor definem a AMU.bio.
Obrigada pelo apoio prestado, tem sido muito interessante trabalhar convosco."

Maria Prada / Julio Portela
Sweet Green (3ha)

Espécies

  • Absinto
    Planta aromática usada há séculos como repelente.
  • Absinto "Powis Castle"
    É um híbrido entre a artemisia absinthium e a artemisia aborescens.
  • Alecrim Comum
    Espalhe em churrascos, sobre as brasas do carvão aceso, perfumando a carne e difundindo um agradável odor no ambiente.
  • Alecrim Rasteiro
    Pouca gente conhece a variedade de alecrim rasteiro que é cultivada como planta ornamental.
  • Alfazema
    Muito cultivada para a extração de seu óleo essencial, muito utilizado em perfumaria e produtos de higiene.
  • Alfazema 'allardi'
    Esta planta surge do cruzamento da alfazema dentata com a alfazema angustifolia.
  • Alfazema dentada
    São produzidas em escala industrial para obtenção de óleo essencial para o fabrico de cosméticos, perfumes, fármacos, etc,.
  • Arméria Marítima
    É uma planta resistente e de longa duração, apresenta belas flores de cor rosada.
  • Babosa / Aloé vera
    Também conhecida como Babosa, a Aloé Vera tem vindo a ser utilizada como planta medicinal desde as civilizações antigas.
  • Calêndula
    Também conhecida como "maravilha", é um excelente inseticida natural.
  • Camomila
    A palavra camomila tem origem no termo grego "chamaimelon" que significa "macieira rasteira.
  • Capuchinha
    A Capuchinha é uma planta comestível rica em vitamina C.
  • Cardo Penteador
    As suas influrescências eram utilizadas para cardar a lã, daí o seu nome.
  • Cidreira
    Muito utilizada para garantir uma boa noite de sono.
  • Cravo Túnico
    A flor desta planta é comestível.
    Pode ser utilizada na confecção de variadas saladas e pratos.
  • Echinacea
    É capaz de aumentar a capacidade de resposta do sitema imunitário.
  • Echinacea angustifolia
    A echinacea age como um antibiótico natural.

    É muito utilizada na medicina tradicional nos dias de hoje.
  • Erva Príncipe
    Planta cuja popularidade em Portugal valeu estrelas de Ouro a duas marcas portuguesas no concurso internacional "Great Taste Awards".
  • Erva-do-caril
    O óleo da erva-do-caril é muito raro e precioso, sendo o anti-hematoma mais potente e conhecido na atualidade.
  • Estragão Francês
    Também conhecido como erva-dragão, é um tempero muito típico na culinária francesa.
  • Funcho
    Esta planta é espontânea nos Açores e na Madeira.
  • Hipericão-do-Gerês
    É talvez a única planta portuguesa com o nome de uma região.
  • Hissopo
    Planta com os mais variados usos medicinais.
  • Hortelã da ribeira
    Especialmente popular no Algarve, onde é utilizada como erva aromática para temperar as caldeiradas.
  • Hortelã Maçã
    Apresenta uma mistura de aromas similares aos da maçã e do ananás.
  • Hortelã mourisca
    De sabor forte e mentolado, exala um perfume intenso.
  • Hortelã-Ananás
    Com um leve aroma a ananás, é ótima para usar em saladas, saladas de fruta e refrescos.
  • Hortelã-Chocolate
    Aroma adocicado e refrescante, que parece mesmo o do popular chocolate "After Eight".
  • Hortelã-Pimenta
    Muito usada no fabrico de pastilhas elásticas e pastas dentífricas.
  • Hortelã-vulgar
    Um dos seus usos mais populares é enquanto planta medicinal.
  • Incenso
    A sua variedade mais cultivada é o Incenso-bastardo (Plectranthus forsteri marginatus), cujo nome advém da sua atraente folhagem verde com margens brancas.
  • Incenso bastardo
    Planta perene que liberta um agradável e intenso aroma.
  • Lavandin
    Possui uma das fragrâncias mais fortes entre as lavandulas.
  • Limonete / Lúcia-lima
    Das plantas mais procuradas para infusões em Portugal, valeu a uma marca portuguesa o prémio mais alto do maior e mais prestigiado concurso mundial de produtos alimentares.

  • Loureiro
    Símbolo de nobreza e de imortalidade, as extremidades do loureiro têm propriedades terapêuticas há muito reconhecidas.
  • Manjericão
    Utilizado na tradicional pizza Margherita e como ingrediente básico do pesto genovês.
  • Manjericão Roxo
    Usado na culinária dá um toque especial aos pratos pois as suas folhas possuem uma bela coloração.
  • Manjerona
    Apresenta sabores doces de citrino e de pinho.
  • Medronheiro
    Também  conhecido como "morango do outono"
  • Murta
    As suas folhas apresentam um cheiro semelhante ao das folhas de laranjeira.
  • Orégãos
    Rico em vitamina C e em óleos esenciais.
  • Perpétua Roxa
    As flores desta planta são consideradas um exelente expectorante.
  • Perpétuas-das-areias
    É frequente encontrá-la em terrenos incultos, sítios secos/arenosos, soalheiros e na orla de estradas e caminhos.
  • Poejo
    Uma das espécies mais conhecidas do género Mentha. O seu óleo essencial é venenoso, sendo especialmente perigoso para grávidas.
  • Rosmaninho
    O mais apreciado produto desta planta é o mel, existem várias regiões de Portugal especialistas na produção de mel de rosmaninho.
  • Sabugueiro
    O Sabugueiro é uma planta medicinal muito utilizada para tratar gripes ou constipações.
  • Salva Ananás
    Apresenta caules peludos, flores de cor vermelha tubulares e um aroma singular a ananás.
  • Salvia
    A palavra sálvia deriva do latim salvere, que significa "estar de boa saúde".
  • Segurelha
    Combina na perfeição com todas as leguminosas na culinária.
  • Stevia
    A sua folha seca é 10 vezes mais doce que o açúcar de cana e muito mais saudável.
  • Tomilho bela luz
    Também conhecido como sal-puro ou sal-purinho, por ser muito usado na cozinha como substituto do sal.
  • Tomilho comum
    Usado como condimento e como erva medicinal, é cultivado há milhares de anos.
  • Tomilho laranja
    Planta com um agradável aroma cítrico, que faz lembrar o da laranja.
  • Tomilho limão
    Tem um delicioso aroma a limão.
  • Tomilho poêjo
    Possui folhas extremamente aromáticas e belas flores rosa e lilás.
  • Tomilho serpão
    Muito utilizado e conhecido nas regiões beirãs.

Loureiro

Laurus nobilis

O loureiro é uma árvore perene que atinge até 10 metro de altura.

As suas flores são verde-amarelo pálido com cerca de 1 cm de diâmetro e são suportadas em pares ao lado de uma folha.
As folhas têm de 6-12 cm de comprimento e 2-4 cm de largura, com margem lisa, no entanto, algumas folhas apresentam margem ondula.

O fruto é uma pequena baga brilhante e preta com cerca de 1 cm, contendo uma semente.

Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 5000 0,35€
A partir de 5001 0,34€
Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 10 1,18€
11 a 50 1,10€
A partir de 51 0,94€
Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 10 2,63€
11 a 50 2,07€
A partir de 51 1,69€
Qtd
Quantidade Preco unitário *
Até 10 3,57€
11 a 50 2,82€
A partir de 51 2,26€
* Aos valores apresentados acresce o IVA à taxa legal em vigor.
Cultivo

O modo de propagação mais comum é por sementeira (semear as sementes assim que estiverem maduras).


Deve proteger-se a árvore do frio no inverno. Devem ser plantadas nas suas posições permanentes em altura de temperaturas amenas e de humidade.

Também é possível a sua propagação por estacaria: podem cortar-se ramos semi- lenhificados em julho / agosto, aconselha-se esperar 6 meses antes de mudá-los de lugar.

Pode ainda cortar-se ramos laterais maduros, de cerca de 10cm, que tenham um nó, em novembro / dezembro (elevada percentagem de sucesso).

Pode ainda propagar-se esta espécie por alporquia.

História

Desde a antiguidade que o louro é utilizado como símbolo de nobreza e imortalidade em diferentes culturas.


Na Idade Média, era considerada uma planta protetora e indutora de visões. A Síbila de Delfi na Grécia Antiga sentava-se sob um tecto de folhas de louro mastigando-as para assim entrar em estado de transe. Em algumas áreas da cidade de Roma, durante a peste negra, era recomendado aos cidadãos refugiarem-se junto dos loureiros para se protegerem.

O seu valor simbólico é o da paz e da vitória e, segundo algumas lendas, o loureiro era a única árvore que os relâmpagos não atingiam.

A deusa Nike ou Nice, do grego “vitória”, era sempre representada com uma coroa de louro na mão para colocar na cabeça dos heróis, lutadores, escritores e poetas vencedores de concursos literários.

Esta árvore representava também Esculápio, o deus da medicina que a tinha como protetora e detentora de propriedades medicinais.

Estudos posteriores vieram comprovar que o aroma canforado dos óleos essenciais contidos nas folhas podem ser eficazes contra as pulgas, as baratas e as traças.

Utilização

O loureiro é utilizado sobretudo para fins culinários e medicinais (tónico estomacal, carminativo, regulador do ciclo menstrual, reumatismo, etc.).


As suas folhas podem ser utilizadas verdes ou secas, contudo não devem ser usadas mais de um ano depois de colhidas, pois perdem o seu aroma.

O louro estimula o apetite e é uma das ervas aromáticas mais utilizadas na culinária do mundo inteiro. As folhas exercem um efeito muito positivo, semelhante ao da hortelã-verde (mentha spicata), e do alecrim (rosmarinus officinalis), ajudando a decomposição de
alimentos pesados, sobretudo a carne.

Existem várias teorias sobre a forma como se deve utilizar o louro na culinária. Algumas dizem que se deve extrair a nervura central, outras que se deve utilizar apenas as folhas já secas. A verdade é que as folhas muito secas perdem grande parte do seu aroma.

É importante juntar o louro no início da cozedura e retirá-lo apenas quando for servir o prato, mas retirar mesmo pois a sua ingestão pode causar distúrbios a nível do estômago ou intestino, pois as folhas podem permanecer intactas no intestino obstruindo-o.

Aconselha-se ainda manter as folhas longe do alcance de crianças.

Também é comum o seu uso ornamental. Desde a Antiguidade que este é utilizado para distinguir os méritos individuais por meio da atribuição de coroas de louros aos atletas vencedores e os poetas laureados, bem como o título de bacharel, que reflecte esse costume (baccalauréat – premiado com a “baga do louro”, Bacca Laureat).

Fontes Documentos